Fisioterapia

Apalpação da escápula
Para a palpação da escápula, o paciente deve estar em decúbito ventral (com o ventre na maca), ou sentado.
O fisioterapeuta se posiciona ao lado do paciente.

• Com uma das mãos o fisioterapeuta irá iniciar a palpação pela borda medial da escápula, (próximo aos processos espinhosos vertebrais);

• Em sentido crânio caudal ele seguirá a palpação e localizará o ápice da escápula (ângulo inferior);

• Em seguida, no sentido caudal cefálico, lateralmente, ele irá apalpar a borda lateral da escápula até próximo ao acrômio;

• Depois irá apalpar até a borda Medial novamente passando pela espinha da escápula.


Pronto está completa toda a apalpação da escápula.

11 de novembro de 2015 / de / no
Apalpação do ligamento esterno clavicular

Para realizar a palpação do ligamento esterno clavicular, o paciente deve estar em decúbito dorsal, (deitado com o dorso na maca) e o fisioterapeuta ao lado do paciente.

Com uma das mãos, o fisioterapeuta vai localizar a incisura  jugular (que fica entre as clavículas), vai percorrer o dedo em direção a clavícula até sentir uma leve depressão que é o ligamento esterno clavicular.

Fácil, não é mesmo?

Veja mais detalhes na imagem abaixo:

Para saber mais sobre Anatomia Palpatória e mais sobre fisioterapia, veja as dicas de matérias abaixo:
24 de outubro de 2015 / de / no
Apalpação do osso Esterno

Para realizar a palpação do osso esterno, o paciente deve estar em decúbito dorsal ou sentado e o fisioterapeuta ao lado do paciente.

O fisioterapeuta deve localizar a incisura jugular (que fica entre as clavículas), e em sentido crânio caudal, irá apalpar a primeira porção do osso esterno chamada manúblio do esterno, seguindo a palpação ele irá passar pela segunda porção chamada corpo do esterno, e vai terminar na terceira e última porção chamada processo xifóide.
Veja os detalhes na figura abaixo:

23 de outubro de 2015 / de / no
O Plexo Braquial
O plexo braquial tem localização lateral à coluna cervical e situa-se entre os músculos escalenos anterior e médio, posterior e lateralmente ao músculo esternocleidomastoideo, passa posteriormente à clavícula e acompanha a artéria axilar sob o músculo peitoral maior.
Ele é responsável pela inervação sensitiva e motora do membro superior e é formado pelos nervos espinhais ou raízes de C5,C6,C7 e T1.
Formação:
O plexo braquial se revela como uma ampla rede nervosa com início na coluna cervical, estendendo-se até a axila. Essa rede é organizada em cinco partes distintas: raízes, troncos, divisões, fascículos e ramos terminais (nervos periféricos) (Figura 2).
Assim, as raízes originais do plexo correspondem aos ramos anteriores dos quatro últimos nervos cervicais (C5-C8) e o primeiro torácico (T1).
Após deixar o forame intervertebral, o ramo anterior da raiz C5 junta-se ao anterior de C6, formando o tronco superior.
O ramo anterior da raiz C7, isoladamente, constitui o tronco médio.
O ramo anterior da raiz de C8 se une ao de T1, constituindo o tronco inferior.
Nesse percurso, o plexo braquial situa-se entre os músculos escaleno anterior e escaleno médio.
Ao ultrapassar a margem lateral do músculo escaleno anterior, os troncos se tornam mais superficiais, sendo cruzados anteriormente pelo músculo omo-hioideo. A partir desse ponto, as fibras nervosas aproximasse umas das outras, cruzando a face posterior da clavícula e do músculo subclávio (canal cervicoaxilar), onde cada tronco forma duas divisões, sendo uma anterior e outra posterior.
Os ramos do plexo braquial podem ser descritos como supra-clavicularese infra-claviculares.
Nervos:
Ramos Supra-claviculares:
Nervos para os Músculos Escalenos e Longo do Pescoço– originam-se dos ramos ventrais dos nervos cervicais inferiores (C5,C6,C7 e C8), próximo de sua saída dos forames intervertebrais.
Nervo Frênico– anteriormente ao músculo escaleno anterior, o nervo frênico associa-se com um ramo proveniente do quinto nervo cervical (C5). Mais detalhes do nervo frênico em Plexo Cervical.
Nervo Dorsal da Escápula – proveniente do ramo ventral de C5, inerva o levantador da escápula e o músculo rombóide.
Nervo Torácico Longo– é formado pelos ramos de C5, C6 e c7 e inerva o músculo serrátil anterior.
Nervo do Músculo Subclávio– origina-se próximo à junção dos ramos ventrais do quinto e sexto nervos cervicais (C5 e C6) e geralmente comunica-se com o nervo frênico e inerva o músculo subclávio.
Nervo Supra-escapular– originado do tronco superior (C5 e C6), inerva os músculos supra-espinhoso e infra-espinhoso.
Ramos Infra-claviculares:
Estes se ramificam a partir dos fascículos, mas suas fibras podem ser seguidas para trás até os nervos espinhais.


Do fascículo lateral saem os seguintes nervos:

Peitoral Lateral – proveniente dos ramos do quinto ao sétimo nervos cervicais (C5, C6 e C7). Inerva a face profunda do músculo peitoral maior;
Nervo Musculocutâneo– derivado dos ramos ventrais do quinto ao sétimo nervos cervicais (C5, C6 e C7). Inerva os músculos braquial anterior, bíceps braquial e coracobraquial;
Raiz Lateral do Nervo Mediano– derivado dos ramos ventrais do quinto ao sétimo nervos cervicais (C5, C6 e C7). Inerva os músculos da região anterior do antebraço e curtos do polegar, assim como a pele do lado lateral da mão.
Do fascículo medial saem os seguintes nervos:
Peitoral Medial– derivado dos ramos ventrais do oitavo nervo cervical e primeiro nervo torácico (C8 e T1). Inerva os músculos peitorais maior e menor;
Nervo Cutâneo Medial do Antebraço– derivado dos ramos ventrais do oitavo nervo cervical e primeiro nervo torácico (C8 e T1). Inerva a pele sobre o bíceps até perto do cotovelo e dirige-se em direção ao lado ulnar do antebraço até o pulso;
Nervo Cutâneo Medial do Braço – que se origina dos ramos ventrais do oitavo nervo cervical e primeiro nervo torácico (C8,T1). Inerva a parte medial do braço;
Nervo Ulnar – originado dos ramos ventrais do oitavo nervo cervical e primeiro nervo torácico (C8 e T1). Inerva os músculos flexor ulnar do carpo, metade ulnar do flexor profundo dos dedos, adutor do polegar e parte profunda do flexor curto do polegar. Inerva também os músculos da região hipotenar, terceiro e quarto lumbricais e todos interósseos;
Raiz Medial do Nervo Mediano– originada dos ramos ventrais do oitavo nervo cervical e primeiro nervo torácico (C8 e T1). Inerva os músculos da região anterior do antebraço e curtos do polegar, assim como a pele do lado lateral da mão.
Do fascículo posterior saem os seguintes nervos:
Subescapular Superior– originado dos ramos do quinto e sexto nervos cervicais (C5 e C6). Inerva o músculo subscapular;
Nervo Toracodorsal– originado dos ramos do sexto ao oitavo nervos cervicais (C6, C7 e C8). Inerva o músculo latíssimo do dorso;
Nervo Subescapular inferior – originado dos ramos do quinto e sexto nervos cervicais (C5 e C6). Inerva os músculos subscapular e redondo maior;
Nervo Axilar– originado dos ramos do quinto e sexto nervos cervicais (C5 e C6). Inerva os músculos deltóide e redondo menor;
Nervo Radial– originado dos ramos do quinto ao oitavo nervos cervicais e primeiro nervo torácico (C5, C6, C7, C8 e T1). Inerva os músculos tríceps braquial, braquiorradial, extensor radial longo e curto do carpo, supinador e todos músculos da região posterior do antebraço.
22 de outubro de 2015 / de / no
A palpação do músculo coracobraquial
Para palpação do músculo coracobraquial, o paciente deve estar em decúbito dorsal ou sentado, com o braço em posição anatômica ou com o antebraço supinado, e o fisioterapeuta deve estar ao lado do paciente.

▶ O fisioterapeuta deve então pedir que o paciente faça uma leve abdução da articulação glenoumeral e com uma das mãos, o fisioterapeuta colocará na extremidade dos membros superior oferecendo resistência, e logo em seguida vai pedir que o paciente faça uma abdução da articulação glenoumeral.

Após esse movimento, o fisioterapeuta vai poder apalpar o músculo coracobraquial medialmente à porção curta do Músculo Bíceps Braquial.

22 de outubro de 2015 / de / no
Apalpação do Músculo Bíceps Braquial
Para a palpação do músculo bíceps braquial o paciente deve estar sentado ou em decúbito dorsal com o braço em posição anatômica ou o antebraço supinado e o fisioterapeuta deve estar ao lado do paciente.

▶ Para apalpar um músculo bíceps braquial tanto a porção curta (Medial) quanto à longa (distal), com o paciente na posição citada acima, o fisioterapeuta põe uma das mãos na extremidade distal do membro superior oferecendo resistência ao movimento, e deve solicitar que o paciente faça uma flexão do cotovelo.

Assim o fisioterapeuta poderá apalpar e visualizar o músculo bíceps braquial contrair.


❇ Dica: para dividir o músculo bíceps braquial e visualizar melhor as duas porções (curta e longa), o fisioterapeuta põe um dos dedos no ventre muscular do músculo antes da flexão.

22 de outubro de 2015 / de / no
Apalpação do Músculo Deltóide (fibras anterior, mediana e posterior)
Para a apalpação do Músculo Deltóide o paciente deve estar sentado e o fisioterapeuta ao lado do paciente e solicitar que o mesmo faça uma abdução da articulação glenoumeral a 90°.

▶ Para apalpar a fibra anterior do Músculo Deltóide, o fisioterapeuta deve posicionar uma das mãos a frente do cotovelo do paciente oferecendo resistência e pedir que ele faça uma anteropulção do braço.
Nesse momento a porção Anterior do Músculo Deltóide irá contrair.

▶ Para apalpar a fibra mediana do Músculo Deltóide, o fisioterapeuta deve posicionar uma das mãos posteriormente ao cotovelo do paciente, oferecendo resistência e pedir que o mesmo faça uma abdução a 180° da articulação glenoumeral.
Nesse momento a porção medial do Músculo Deltóide irá contrair.

▶ Para apalpar a fibra posterior do Músculo Deltóide, o fisioterapeuta deve posicionar uma das mãos no cotovelo do paciente oferecendo resistência e pedir que o mesmo faça uma retroversão do cotovelo.
Nesse momento a porção medial do Músculo Deltóide irá contrair.

22 de outubro de 2015 / de / no
Apalpação da artéria axilar e artéria braquial
Para a palpação da artéria axilar e artéria braquial, o paciente deve estar em decúbito dorsal ou sentado, com o braço em posição anatômica, ou o antebraço supinado e o fisioterapeuta ao lado do paciente paciente .

▶ Para apalpar a artéria axilar o fisioterapeuta deve solicitar ao paciente que faça uma leve abdução da articulação glenoumeral e introduzir o dedo indicador no meio da axila do paciente.
Assim o fisioterapeuta vai conseguir sentir a pulsação da artéria.

▶ Para apalpar a artéria Braquial o o paciente deve estar na mesma posição anterior e o fisioterapeuta deve posicionar o dedo indicador medialmente ao tendão do M. Bíceps Braquial.

22 de outubro de 2015 / de / no
Como saber se você está devidamente cadastrado no CNES

Abaixo você verá um tutorial de como saber se você está devidamente cadastrado no CNES (Cadastro nacional de Estabelecimentos de Saúde) e consequentemente tem os direitos que são repassados pelo Ministério da Saúde  aos seu município, como pagamento, incentivos e etc.

Primeiro devemos saber que somente os profissionais devidamente registrados no Ministério da Saúde, tem direito aos recursos enviados aos municípios.

Caso você não esteja cadastrado, peça esclarecimentos aos seus gestores e a sua IMEDIATA inclusão no sistema, pois essa é a garantia de que você é um profissional registrado.

  • Para realizar a consulta você deve acessar o site do CnesWeb no endereço:  cnes.datasus.gov.br ou clicando aqui.
  • Na página que se abrirá ROLE PARA BAIXO até o campo Consulta Profissional
  • No o campo Consulta Profissional você preenche com o seu Nome e/ou CPF / CNS.

Eu prefiro fazer a consulta por CPF, mas você também pode usar o nome ou CNS.

  • Depois de digitar um dos dados solicitados clique em PESQUISAR.
  • Após isso deve aparecer a seguinte mensagem:

A Consulta solicitada foi:
“Nome do Profissional” e CNS do Profissional.

  • Agora é só clicar no nome de quem você quer ver o registro e pronto.

Você verá todas as informações desse profissional pesquisado, como:
Nome, Sexo, CNS, Data da Atribuição, Dados Profissional, CBO, CNES, Estabelecimento, Esfera Adm., UF, Situação, Carga Horária, SUS, Vinculação, Solicitação de Desligamento e etc.

Gostou?
Compartilhe para que outros possam se beneficiar também dessa informação!
22 de agosto de 2014 / de / no ,